Apresentação

 

banner-pe2013-2015 

 Veja o Plano Estratégico

No período que antecedeu a cerimônia de posse desta atual gestão, procedeu-se a uma proficiente análise prospectiva do Plano Estratégico vigente, estudou-se o muito que foi feito e o que ainda deve ser feito para atingir a missão do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás:

Realizar a justiça, assegurando à sociedade um serviço acessível, ágil, eficaz e efetivo, que resguarde a todos o direito, a dignidade e a cidadania.

Muito tem sido feito nesse sentido, mas a sociedade evolui, torna-se mais exigente, e maior se torna o volume de demandas que chegam à Justiça, reclamando cada vez mais eficiência e mais celeridade na prestação jurisdicional.

Nenhuma instituição, seja pública ou privada, diante das exigências do mundo moderno, pode conseguir êxito em sua administração sem que se sustente num planejamento sistemático, calcado nos valores institucionais, com metas precisas e bem delineadas dentro de seu objetivo maior, que é cumprir a sua missão.

O instrumento utilizado na elaboração do planejamento do Tribunal de Justiça, o Balanced Scorecard – BSC –, permite que se revejam as metas e seus objetivos; sejam elas mantidas, modificadas, acrescidas, atualizadas; reaproveitadas as estratégias exitosas e criadas novas estratégias que se ajustem às atuais exigências; que se concluam projetos já iniciados e se elaborem novos projetos que viabilizem a consecução dos objetivos de cada meta; enfim, que se aproveite o planejamento anterior em suas linhas mestras, o qual, por determinação do Conselho Nacional de Justiça, deve abranger cinco anos.

Montada a equipe da atual gestão, realizaramse, com todas as Diretorias de Área e Coordenadorias deste colendo Tribunal de Justiça, inúmeras e exaustivas reuniões coordenadas pela Secretaria de Gestão Estratégia coadjuvada pela Diretoria-Geral, com o intuito precípuo de, em conformidade com as orientações do Conselho Nacional de Justiça, se realinharem as metas do planejamento anterior, se formularem novas metas e se conceberem adequadas estratégias para a consecução do objetivo que deve estar sempre subjacente a todas as ações do Poder Judiciário: oferecer uma prestação jurisdicional célere, eficaz, efetiva e acessível a todos, protegendo-lhes a dignidade e a cidadania, indispensáveis ao respeito dos valores humanos.

Foram estabelecidas 27 arrojadas metas, que se harmonizam e se integram às do Conselho Nacional de Justiça. Para cada meta selecionada, estabeleceram-se-lhes os objetivos e buscaram-se as ações que devem ser implementadas para se atingir o indicador de desempenho perquirido para cada meta.

Nas páginas iniciais deste Plano, faz-se um esclarecimento da estratégia e metodologia seguidas na sua confecção, explicitando-lhes ostermos e as partes, a fim de torná-lo acessível a todos os seus usuários.

Os desafios, ainda que muitos, serão usados como força propulsora para o desenvolvimento e, num trabalho interativo da Presidência e sua equipe administrativa, os senhores desembargadores, os juízes e os servidores, serão empreendidas melhorias que se refletirão no engrandecimento da Justiça. Por isso, neste Plano Estratégico, biênio 2013/2015, ora entregue a toda a comunidade jurídica, fez-se questão de dar continuidade aos projetos estratégicos concebidos nas gestões anteriores, como iniciar a edificação do novo prédio que abrigará as varas cíveis da Comarca de Goiânia e concretizar as conquistas alcançadas pela categoria dos magistrados e pela classe dos servidores. Procurar-se-á atualizar o modelo de divisão de competências funcionais das áreas administrativas, a fim de dotar a Justiça goiana de melhores e mais ágeis estruturas gerenciais. É propósito desta gestão fomentar, por meio de encontros e debates, a proximidade entre os magistrados de 1º e 2º graus e entre juízes e jurisdicionados. Cumprindo Resolução do Conselho Nacional de Justiça, é meta relevante deste biênio desencadear medidas para a melhoria do parque tecnológico do Tribunal, de modo a disponibilizar uma maior e mais produtiva rede de serviços e recursos de tecnologia da informação e comunicação aos jurisdicionados, tanto da capital quanto do interior, além de dotar o Tribunal de meios para a implantação do Processo Judicial Eletrônico – Pje.

Alinhado às determinações e recomendações emanadas do Conselho Nacional de Justiça, este Plano Estratégico visa, pois, dotar a administração do Tribunal de Justiça de um instrumento que lhe sistematize e direcione as ações, a fim de que se possa avançar em conquistas e realizações nestes dois anos de gestão, em que todos, repitase, dirigentes, magistrados e servidores, de mãos dadas, num esforço constante, interativo e renovado, possam trabalhar para oferecer à sociedade goiana uma Justiça politicamente proficiente e eficaz.

 

Desembargador Ney Teles de Paula
Presidente